Cuidado com os Desejos

Desde a mais tenra idade somos movidos pelos nossos desejos. Alguns alcançamos e comemoramos muito, outros alcançamos e sequer nos damos conta. Fiz um balanço dos meus desejos e concluí que não sou a criatura mais feliz do mundo, e nem conheço quem o seja, porém devo admitir que tive a maioria dos meus desejos realizados.
Um dos primeiros e maiores desejos, que tenho consciência, foi a bicicleta. Eu queria tanto uma bicicleta que quando chegava perto de uma eu tinha até dor de barriga. Aos sete anos, de aniversário, meu avô me deu uma bicicleta: uma Brandani, verde metálica. Lembro-me da bicicleta como se a visse hoje, e os anos não diminuíram a fissura por bicicleta.
Entre 14 e 15 anos eu queria um computador. Lembro-me de ver um IBM aptiva numa loja no shopping, com um vídeo tosco de um tubarão. Nossa, novamente a tal dor de barriga me consumia. Lembro-me de também ter sentido dor de barriga parecida quando deparei-me numa bienal com um computador que “lia” um livro do Paulo Coelho. A escolha dele não era das melhores, mas o feito me deixou perplexa. Era hiper atrativo, porém aquilo não estava à venda. Em abono da verdade, se estivesse à venda pra mim não iria fazer diferença. O fato era que eu precisava de um computador! E numa bela noite, do nada, meu pai me adentra em casa, cheio de peso e fios, e não era nada menos que um computador: um IBM 386, rodando o Windows 3.11. Hoje sei que ele não era grandes coisas, mas pra mim, naquele momento, era melhor do que o foguete que foi pra lua. Eu não consegui dormir por uma semana. Até hoje sou viciada em computador, adoro. E ainda passo noites sem dormir por conta dele.
Há os desejos que demoram um tanto mais pra se concretizarem, sobretudo os imateriais. Lembro-me de ir para a faculdade e no caminho eu seguia com os olhos um rapaz que ainda freqüentava colégio. Ele era lindo, vestia roupas de marca, vira e mexe eu o deparava ficando com uma menina ou outra no caminho, e enfim, embora traída, eu o desejava. Terminei a faculdade, me envolvi em um milhão de roubadas. Esse ser sumiu não apenas dos meus olhos, mas também da minha memória. Eis que numa tarde qualquer eu pedalava minha querida bicicleta, não a Brandani e sim uma Caloi 100, e um rapaz se aproxima também pedalando. Era ele! Conversou um pouco e pediu pra ficar comigo. Parece ficção, dá uma bonita cena de filme, mas é a pura verdade. Tão verdade que o cara não era mais o rapaz lindo que me chamava atenção. Os anos não lhe fizeram muito bem. Agora era um homem em roupas que em nada faziam lembrar as que tão bem lhe vestiam no passado, com uma barriguinha desavergonhada, e com o cabelo já bastante falhado. Eu não desejei tanto ele? Ali estava ele! E fiquei, beijei, abracei, acarinhei, apertei, fiquei feliz. Não que o ficar tenha sido ótimo, mas a realização do desejo ocorreu, mesmo que com um atraso de uns dez anos.
Quando adolescente eu ia bastante ao trabalho do meu pai. E entre uma infinidade de funções que as pessoas desempenhavam eu me encantei com a de continuísta. Contudo, eu frequantava os sets de filmagens, e nunca a base da produção. Ou seja, eu via parte das atividades de uma continuísta. Eu desejava estar no lugar da continuísta. Dia desses eu lamentava o stress da minha profissão, e de repente lembrei da adolescente que há mais de quinze anos atrás desejou ser continuísta, com alegria e empolgação. Hoje sou uma continuísta, e nesse minuto declaro a minha vergonha por reclamar do meu trabalho. Afinal, não fui eu que desejei isso? Eu consegui!
Pois bem, partilhei com vocês desejos muito pessoais. Porém, há muitos desejos coletivos. Desejamos enquanto nação ter um presidente vindo das camadas menos favorecidas da população, que tivesse como meta a diminuição das disparidades sociais que tanto denigrem a imagem do nosso país. Nosso desejo foi realizado, entretanto, penso que o desejo coletivo colidiu com um desejo pessoal. Posso estar sendo maniqueísta, e até cruel, mas não covarde. O desejo da nação era ter um presidente justo (seja lá o que isso for), e o sonho do indivíduo que chegou na presidência me parece que era o de não mais ser pobre. Alcançados os desejos, não nos damos conta deles. Termino esse texto que demorou mais de semanas para ser feito iluminando minha mente com as frases de Raul Seixas em “Ouro de Tolo”: “Porque foi tão fácil conseguir/ E agora eu me pergunto "e daí?"/ Eu tenho uma porção de coisas grandes prá conquistar/ E eu não posso ficar aí parado...”.

Comentários

Dama de Cinzas disse…
Tb não posso reclamar de Deus, da vida. Tive muitos dos meus sonhos/desejos satisfeitos. Uns até bem difíceis...

Agora tenho um desejo bobo, quero ficar muito rica... ahahah... Olha que coisa boba... ahahah

Beijocas
Bruxinha disse…
É... cuidado com eles!
Perigosos a ponto de nos enlouquecer.

Ahh, como é bom esta aquiii!
Muito bom teu texto mais uma vez.. \o/Viva a escrita!

Beijooookas!
Anônimo disse…
Muito bom Pris. Gosto muito da tua escrita.
Nathália disse…
A maioria dos meus desejos se realizaram. Alguns não da maneira como eu esperava.
Mas não dá pra reclamar, né? A culpa é toda nossa mesmo. Hahahaha

Beijo!
Desejos são coisas estranhas, alguns a gente da a vida por eles e no final se pergunta: "poxa, era isso?" e outras nem nos esforçamos muito e sentimentos que aquilo é extremamente gratificante. Bom, eu adorei seu texto, você tem uma forma muito gostosa de escrever.

E eu amei seu comentário no Armário de Sapatas. E sei como é falta de respeito, poxa, você não gosta de beber, deveriam respeitar isso. ;p

Volte sempre viu? Será sempre muito bem vinda. ;)

;*
Patrícia disse…
Amei, amei amei! Realizei alguns desejos sim... queria cursar Direito e cá estou, certa vez amarrei uma fitinha pedindo uma máquina de datilografia (pasme!) e ganhei um pc... hehehe. Hoje meus desejos de consumo são mais simples, e os grandiosos imateriais ainda estão cobertos... (não sei quais são!)
Fazendo uma reflexão dessa não dá pra reclamar...
digo a você que tudo que venho desejando a vida inteira eu consigo... só não ganhei ainda na mega sena mas tudo bem. :)
O pensamento positivo, a força e a fé nos trazem os desejos bem pertinho, resta saber fazer acontecer.

BEIJOSSSS :)

Postagens mais visitadas deste blog

Terra Selvagem

Tirania, autoritarismo ou despotismo