Almodovar, "A pele que habito" e o artista habitado

“A pele que habito”, o mais recente filme do diretor espanhol Pedro Almodovar. Nunca um filme dirigido por Almodovar pode ser considerado meramente um filme. É sempre um filme seguido de impactos, dilemas, delicadezas, polêmicas, e o que mais afete. Eis a afetação uma referência que talvez possa ser o elemento que num filme denuncia a forma distinta de Almodovar.


A afetação se alastra nas cenas, nos temas, nas tramas, na trilha e nas consagradas cores. É impossível não sentir. A inquietação vem pela abjeção ou pela identificação, no humor ou no drama, no que for, sempre em tons de excesso.


“A pele que habito” é mais um roteiro de estratagema, cuja argúcia do escritor se revela em originalidade no amarrar de uma trama confusa, difusa. O argumento inicial confunde, fazendo crer que tudo ficará a cargo da ética médica e o uso de seres humanos em pesquisas científicas. Entrada razoável, instigante, mas o que se efetivou foi muito além. Toda ênfase seja dada ao muito e ao além.


Desfilam no roteiro neuroses diversas, em destaque a síndrome de Estocolmo. Não ficam de fora problematizações, reflexões, em torno do sexo, gênero e sexualidade. E na ordem dos afetos, o amor passional informa os limites, ou sua ausência, nas ações.


E o estrambótico roteiro funciona graças a uma perspicaz direção e indefectíveis atuações. Sem desmerecer o elenco, Antonio Banderas, vivendo sereno o inverossímil, e Marisa Paredes, metaforizando a sina da mulher que pauta sua existência na concepção, são os extremos destacáveis. Produção imperdível, daquelas em que o filme não acaba. Sai da sala escura e dialoga com o que fica escuro em nós.

Comentários

Faltaram- me palavras para descrever tamanha majestade, ao vê-lo.
Assisti quando lançado, ainda hoje percebo minha mente refletindo na trama.
Jso disse…
OKay, vc me convenceu a assistitr!
Anônimo disse…
não sabia que vc tinha tô aki..
Gostei muito

Elza Goulart
Anônimo disse…
não sabia que vc tinha tô aki..
Gostei muito

Elza Goulart
Pitty que Pariu disse…
Elza,

Que delícia você por aqui. Entre e fique à vontade. ;)

Postagens mais visitadas deste blog

Terra Selvagem

Tirania, autoritarismo ou despotismo