Do que não é tão óbvio sobre tempo e espaço


Sei que já não sou uma garotinha, mas sigo sem dominar calendários e mapas. Não adianta anotar na agenda, não adianta waze, não adianta programar no celular, não adianta guias e rotas com desenhos esquemáticos. E claro que isso é desde que me entendo por gente.

Na época de escola, sentava para assistir a aula mas para minha surpresa era dia de prova. Na adolescência, recordo como auge o dia em que fui fazer vestibular, marcado num dia X às 7h. Fui de manhã, seguindo o turno das outras provas, mas essa seria 7h da noite. Eu reparava que ninguém chegava, e o local estava vazio, até que um segurança sentou-se ao meu lado e sugeriu que eu fosse para casa, descansar para retornar a noite.

Adulta, marcava com amigas de ir ao cinema em um bairro, e acabava assistindo o filme sozinha numa sala errada, pois no bairro tinha mais de um cinema, me guiei por um mapa, entrei no horário programado mas no filme errado, me confundi legal enquanto minhas amigas me aguardavam ali bem perto. Nessa época raros eram os celulares.

Enfim, este é um desabafo desastrado, nada brilhantes mesmo, mas tenho convicção de que não sou a única a ter que me esforçar um bocado para me alinhar ao que convencionou-se como um padrão, simples e óbvio. Exageros à parte, sei circular, cumpro horários, encontro lugares. Mas me valho mais das minhas experiências e memórias afetivas do que das indicações que identificam, ou deveriam identificar os lugares, ou mesmo dos alarmes que disparam e lembretes coloridos pregados aqui e acolá. E me sinto mais à vontade no mundo percebendo que os padrões são feitos para serem "óbvios", mas não são tão óbvios assim. Afinal, quando no metrô sempre me perguntam de que lado da plataforma a composição vai em direção ao centro, ou mesmo quando alguém está assinando uma documentação qualquer e quase que angustiado perguntam que dia é hoje. E assim torno óbvio o que consigo incorporar às minhas experiências. No mais, haja informações para me adaptar à noção majoritária de tempo-espaço.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Terra Selvagem

Tirania, autoritarismo ou despotismo