A Biologia Social

Vamos admitir, o tédio de domingo acomete a todos. E não creio que alguém consiga se livrar de no mínimo uns minutos diante da televisão. O famigerado dia de descanso aborrece um bocado. Faustão, Silvio Santos, Gugu, futebol e Fantástico. Um desses, com sorte, você vê. Com azar vê todos.
Então, eu com sorte domingo vi o fantástico. O escritor Dr . Dráuzio Varela fazia a locução de uma daquelas manjadíssimas séries da BBC sobre a vida humana. Nada mais a calhar do que a locução de um médico, a fim de transmitir um mínimo de credibilidade àquelas imagens. Até então, tudo coerente.
Não estou acompanhando a série regularmente, só sei que nesse domingo Dr. Dráuzio Carandiru falava sobre a fase adulta para a velhice, iniciando por volta dos 40 anos. Enfatizou logo a desgraça que o sol faz à pele, que as células vão ficando cansadas e que há uma desaceleração do organismo. Aliás, ele disse que por volta dos 40 o ser humano já produziu em média uns 40 quilos de resíduos de células mortas. Difícil pra mim não é só acreditar na quantidade de células mortas, e sim em como elas não entram em extinção. De acordo com essa estatística, quando eu fizer uns 60 anos eu terei produzido praticamente outra de mim só de células mortas. Sendo assim, já me vejo aos 60 em crise, sem saber se sou mais viva ou morta.
Voltando para a série, irei direito ao ponto que feriu cruelmente minha débil inteligência. Entre células, hormônios, ossos e sangue o Dr. Carandiru Varela mescla comentários da vida social dos humanos. Nesse ponto ele dá a deixa pra eu chafurdar!
Segundo sua narrativa, aos 40 anos o organismo desacelera, a produção de hormônios diminui, a pessoa vai engordando, tem menos disposição e assim até os 60 anos, fase em que, disse o Dr., nossos filhos já estão criados e nós nos aposentamos. Fudeu! Acabou com a série! Quem é que tem esses filhos? E quem é que tem um emprego pra poder se aposentar? Na atualidade apenas temos trabalho pra poder trabalhar. E quando acabar, acabou. Eu assistia o produto na paz e quietude, aceitava razoavelmente bem as bobagens que iam sendo seqüenciadas sem regulagem, até chegar ao triste comentário. Daí não passou!
Claro que há algum grau de invasão, ou de diálogo entre o biológico e o social, afinal, um contém o outro e no outro está contido. Contudo, explicar regularidades na biomédica e física é menos cruel e armadilhoso do que na área humana. E pior do que isso, regular, fixar parâmetros de compasso entre o social e o biológico, como se o primeiro fosse tão natural quanto o segundo, é só para os muito ousados, ou para os desavisados. Duvido que o Dr. Varela concorde sem pestanejar com o que diz. Aliás, não duvido que se trate de uma dublagem. Só que o nome do Dr. Dráuzio vai pra vala em que soterramos o senso comum.
Então, o domingo, dia de descanso, pode ter sido tedioso para ver. Mas graças ao descaramento do Fantástico em aproveitar a produção alheia, foi fértil para pensar.

Comentários

Dama de Cinzas disse…
Muito bom seu post! Análise perfeita, nem tenho o que acrescentar, a não ser que quero morrer aos 40... ahahah

Beijocas
cacá disse…
gostei de seu blog e de como posta
bjinhos
Tell Aragão disse…
a vida que me ensinaram como uma vida normal tinha trabalho, dinheiro, família, filhos e tal... era tudo tão perfeito se tudo fosse só isso, mas isso é menso do que tudo é menos do que eu preciso...
acho que o doutorzinho não curtia esse som na década de 80... ou não entendia o que a paula toller tava tentando dizer...
ultrapassado esse rapaz, viu?
ou pelo menos, desinformado da realidade (de hoje, diga-se de passagem)
Sergio Brandão disse…
Pitty, valeu pela visita lá no "de 4"! E, mais uma vez, excelente post o seu!!! Agora, além de jornalista, certamente, vc deve ter um "pézinho" lá na Filosofia... rs Estou gostando muito do estofo do seu discurso!... A frase, então, "e pior do que isso, regular, fixar parâmetros de compasso entre o social e o biológico, como se o primeiro fosse tão natural quanto o segundo" foi nota 1.000! E, como bem escreveu a "dama de cinzas", dá mesmo vontade de morrer aos 40!... rsrs Bjsss.
Ariane disse…
" Claro que há algum grau de invasão, ou de diálogo entre o biológico e o social, afinal, um contém o outro e no outro está contido. Contudo, explicar regularidades na biomédica e física é menos cruel e armadilhoso do que na área humana. "

Pitty, genial. A área humana (nossa área) é mesmo perigosíssima, pois estamos com os símbolos, o sentido da vida das pessoas, em nossas mãos.

Postagens mais visitadas deste blog

Tirania, autoritarismo ou despotismo

Assisti Clube da Luta, Vinicius