O Narciso que acha feio o espelho

Diariamente as pessoas são testemunhas de sérios problemas causados pela desonestidade e seus derivados nas formas de gerir o que pretensamente chamamos de bem público. Mas é necessário que as ações danosas recorrentes sejam relatadas pela imprensa como um fato isolado repugnante, para que as autoridades tomem alguma providência. 


Costumo condenar bastante nossos representantes, mas seria ingênuo acreditar que a falta de ética deles não é um reflexo da falta de ética da sociedade como um todo. As pessoas acham tranquilo passar na frente porque conhecem fulano e sicrano. Adoram a distinção de um grupo, o privilégio numa indicação por conta de um sobrenome. E nem pensam duas vezes em dar uma volta mentindo isso ou aquilo, afinal não é nada tão prejudicial assim. 


Somados os casos pequenos, isolados, temos uma sociedade altamente permissiva com o dar um jeitinho, com o "se dar bem". E na contra mão nos enchemos de indignação com as falhas na conduta de quem nos representa. Sejamos rigorosos sim, mas não apenas com o outro.

Comentários

Jso disse…
Pois bem, se mexeram comigo, com a velha e fiel fé do
meu povo sofrido, então agora eu vou sacanear:
mais honesta ainda vou ficar.
Só de sacanagem!

Postagens mais visitadas deste blog

Terra Selvagem

Tirania, autoritarismo ou despotismo