Bruna Surfistinha

Primeiro de tudo, viva o cinema nacional. Nem sempre acerta, mas faz. E um viva também para a população brasileira, que parece estar pondo em prática que é preciso primeiro experimentar pra depois ter uma opinião. Com críticas favoráveis ou não, o estímulo é no sentido do fazer.

Fiquei com impressões contraditórias sobre "Bruna Surfistinha". Razoável ao cumprir o papel de um filme: mesmo não sendo bom pra ver, é eficiente pra pensar, discutir, refletir.

As atuações da Deborah Secco, Drica Moraes e Fabíola Nascimento são convincentes. A história da menina decidida que empreende um caminho profissional é ótima. O roteiro é bom, sem problemas na adaptação. Mas o filme é fraco.

Fiquei intrigada com a produção. O diretor conseguiu um efeito medíocre com tantos fatores positivos.

Comentários

Olá moça, obrigada pela visita.
Gostei muito daqui.
Já estou fazendo minhas andanças para conhecer-lhe melhor.
Ainda não assisti o filme, mas feriadão está aí e, com certeza será regado a muitos filmes.
Beijocas,
K.

Postagens mais visitadas deste blog

Tirania, autoritarismo ou despotismo

Assisti Clube da Luta, Vinicius