Sinto que sinto

Todos os dias sou tomada por emoções. Digo tomada porque é algo que está completamente fora do meu controle. Acordo de um jeito, o dia transcorre de outro, e a noite eu nem sei o que é de mim.

Se fosse possível estabelecer um padrão, eu diria que acordo bem, ao longo do dia a minha autonomia é invejável, mas a noite é a noite, fria e escura. Claro, nos finais de semana a lógica muda um bocado, pois acordo decrépita mas a noite fico iluminada!

Fazendo uma analogia clichê, ando numa montanha russa. A subida é lenta e misteriosa, e a descida é violenta, rápida, vertiginosa. Entretanto, o que parece um descontrole absurdo é um bocado louvável. Afinal, melhor me sentir nessa montanha russa do que não sentir nada. O sentir qualquer coisa é se abrir para tudo, e o sentir nada é sacal, quando não fatal.

Comentários

Já sabe que sou dessas, né: Antes sentir; independente do que for, do que não sentir. Acredito que o sentir e as memórias é o que nos torna humano.
Ellen disse…
Gostei do blog.. vou salvar no meu reader..

bjs cariocas
Pitty que Pariu disse…
Obrigada pelos comentários, meninas. Quando me solto aqui achando que ninguém lê logo aparecem comentários. Isso me pega de surpresa! Uma delícia. ;)

Postagens mais visitadas deste blog

Tirania, autoritarismo ou despotismo

Assisti Clube da Luta, Vinicius